Depois de destralhar o que fazer com a tralha?


Em pleno Desafio 28 dias a destralhar, o destralhe está a acontecer e começam a surgir as dúvidas: Depois de destralhar o que fazer com a tralha? 
Decidi escrever este artigo com as soluções que no meu ponto de vista são as mais adequadas, já que deitar fora toda a tralha está totalmente fora de questão! E porquê?

Em primeiro lugar porque temos de reduzir urgentemente a quantidade de lixo que produzimos, segundo a Quercus cada Português produz em média 1,32kg de lixo por dia, contribuindo para a produção total de 4,75 milhões de toneladas de lixo e onde somente 16,5% é colocado em Ecopontos (mais dados aqui).

Depois porque precisamos na mesma medida de travar o consumo desenfreado da sociedade actual, colocando cada vez mais em prática a Política dos 3 R's:
- Reduzir
- Re-utilizar
- Reciclar 
ou seja, devemos sempre dar nova vida ao que já não serve o nosso propósito mas que está em bom estado antes de simplesmente o descartar! 


Então e depois de destralhar o que fazer com a tralha?


Oferecer/Trocar/Vender
Se os itens estão em bom estado, esta deve ser sempre a primeira opção, e aqui as possibilidades são imensas. Desde oferecer a um familiar ou amigo, convidar uma série de amigos e fazer uma swap party (festa das trocas) participar em mercados de trocas, ou vender em mercados de 2ª mão, vendas de garagem, vendas de bagageira, grupos de facebook, etc.

Este é uma excelente forma de dar uma 2ª vida às coisas e de dar um sinal à indústria produtora de bens para diminuir a produção massiva de coisas, já que havendo menos procura haverá obviamente menos produção, contribuindo para uma gestão mais consciente dos recursos naturais.

Este artigo do Observador tem também algumas ideias interessantes. 

Doar
Este é um gesto nobre que podemos colocar em prática. Existem imensas pessoas carenciadas e outras tantas instituições que aceitam a doação de bens, desde roupas, brinquedos, óculos, móveis, equipamentos eléctricos e electrónicos, livros, etc.

É impossível compilar todas as instituições e locais onde se pode doar, deixo como sugestão a aplicação WasteApp da Quercus, onde na opção DOAR se encontram alguns desses locais, uma boa pesquisa na internet também ajuda.
Outra sugestão é contactar a Câmara Municipal da zona de residência e perguntar se aceitam doações. Por exemplo no Município onde resido, a Biblioteca Municipal aceita doações de livros, CD's e DVD's e a Loja Social doações de roupas, brinquedos, pequenos móveis, electrodomésticos, utilitários para a casa, etc.

Reparar/Modificar (DIY)
Nunca o Do it Yourself esteve tanto na moda como agora, e ainda bem. Porque não aproveitar umas calças de ganga que já não servem e transformá-las numa mala. Ou então recuperar um móvel antigo e usá-lo para um novo fim. Existem uma série de sites, páginas, grupos, workshops etc de onde se pode retirar ideias.

Reciclar/Descartar
Quando estamos na verdadeira presença de tralha e o seu único destino possível é o lixo, devemos de fazê-lo de forma consciente, de modo a que não prejudique o meio-ambiente. Mais uma vez a aplicação WasteApp da Quercus é uma excelente ajuda para sabermos o destino correcto a dar aos resíduos. 

A European Recycling Plataform tem em português uma compilação actualizada de artigos, legislação, acções e recolhas pontuais acerca desta temática.

Como já perceberam, estou super comprometida nesta missão destralhar e no destino consciente e sustentável a dar à tralha! Espero que este artigo vos motive ainda mais a destralhar e que vos ajude depois de destralhar o que fazer com a tralha.
Aproveito também para reforçar que após o destralhe não vale ir às compras e encher novamente a casa de tralha, ok?

Beijinhos * Cláudia 

Se quer saber depois de destralhar o que fazer com a tralha, guarde este artigo no Pinterest
Photo by Ben Neale on Unsplash

Enviar um comentário

Instagram

TODAS AS IMAGENS E CONTEÚDOS DESTE BLOG SÃO PROPRIEDADE DE CLÁUDIA GONÇALVES GANHÃO.
NÃO É PERMITIDO COPIAR OU UTILIZAR QUAISQUER CONTEÚDOS DESTE BLOG
PARA QUALQUER FINALIDADE SEM AUTORIZAÇÃO DA MESMA.
© Cláudia Ganhão . Design by Fearne.