quarta-feira, 9 de maio de 2018

A vida ao contrário

Coisas da sociedade moderna: chegam a uma fase da vida em que ambicionam mais do que já alcançaram, evoluções de carreira, mais responsabilidades, mais rendimentos, casas maiores, contas bancárias mais recheadas, mais viagens e se trabalharem muito, ou se tiverem sorte (acham eles) a vida acaba por lhes trazer o que tanto procuram e é exactamente aí que a vida se põe ao contrário.


Pois é nessa fase em que trabalham mais horas, pois têm de entregar mais, de viajar mais, com mais obrigações, responsabilidades e exigências e em que passam menos tempo em casa. É também nessa fase que os ordenados aumentam, mas não passam de ilusões pois é nessa fase em que as despesas aumentam. 

Trabalhando mais, têm menos tempo e disponibilidade para cozinhar, então o que fazem? Compram comida fora ou fazem-no em restaurantes. Têm menos tempo para cuidar da casa e das tarefas domésticas, então o que fazem? Aumentam o horário da empregada. Têm menos tempo para os filhos, para os ir buscar à escola, para os acompanhar, então o que fazem? Contratam ATLs, extensões de horário em colégios, empresas de transporte de crianças, actividades extra-curriculares, explicadores, babysitters, etc., etc.

Portanto trabalham mais para ganhar mais dinheiro para poderem pagar a quem lhes faça tudo aquilo que poderiam fazer e não conseguem porque estão a trabalhar! E esta pescadinha de rabo na boca não passa de ilusões de que a vida melhorou, pois se pensarem bem a qualidade de vida está literalmente diminuída em todos os aspectos. 

Acrescentando a este ponto, outro fundamental, a falta de tempo para viver, para usufruir da vida, das coisas boas e simples, da família, do crescimento dos filhos, de conviver com os amigos de verdade, de desfrutar de um dia sem fazer nada, de esvaziar a cabeça de problemas, de passear na natureza, de esquecer o telemóvel, o e-mail, de simplesmente ser livre. 
Aquela que promete mais, vidas quase perfeitas, carreiras, casas, viagens, roupas, carros, mas na realidade lhes rouba o que não se compra: tempo livre, tempo para a família, disponibilidade mental, saúde, amigos e liberdade! 

Ou não estamos a falar de um novo modo de escravatura, a dos tempos modernos? 

Photo by rawpixel.com on Unsplash

Enviar um comentário

Instagram

TODAS AS IMAGENS E CONTEÚDOS DESTE BLOG SÃO PROPRIEDADE DE CLÁUDIA GONÇALVES GANHÃO.
NÃO É PERMITIDO COPIAR OU UTILIZAR QUAISQUER CONTEÚDOS DESTE BLOG
PARA QUALQUER FINALIDADE SEM AUTORIZAÇÃO DA MESMA.
© by Cláudia Gonçalves Ganhão . Design by Fearne.