Não peçam a uma mãe que fique sentada à espera...


Nesta nossa caminhada familiar e como devem imaginar, já consultámos vários médicos, especialistas, uns mais optimistas, outros mais pessimistas, uns simpáticos, outros intragáveis, uns mais solidários outros menos. Faz parte, são seres humanos e somos todos diferentes.


Alguns sabem dialogar com os pais, há outros que nem por isso, para não dizer que são autênticos calhaus com olhos, frios, duros e insensíveis como uma pedra. Não deve ser fácil estar naquele papel e ter de comunicar a uma família que a doença do seu filho não tem cura, mas há formas e formas de o fazer.
E nunca em caso algum podem dizer a uma mãe coisas tais como:

* não há nada que ela possa fazer! 
Há uma imensidão de coisas que uma mãe pode fazer pelos seus filhos, tenham eles uma patologia ou não, são tantas mas tantas as possibilidades que não há papel que chegue para enumerá-las. Nunca subestimem a força de uma mãe, o amor de uma mãe, o poder de uma mãe.

* fique sentada à espera que uma doença lhe leve o filho!
Não há mãe alguma no mundo que espere sentada e de braços cruzados que uma maldita doença lhe leve um dos seus maiores amores, uma das suas razões de viver. Uma mãe dá luta, uma mãe não cruza os braços, uma mãe enche-se de força e enfrenta o que tiver de enfrentar, uma mãe procura alternativas, caminhos, saídas. Uma mãe nunca desiste.

* os livros dizem, a experiência diz-nos...
Uma mãe não se deixa abalar pelo que dizem meia dúzia de livros (até parece que alguém já leu todos os livros do mundo). Ou que se uns quantos casos não correram bem então todos serão assim, uma mãe sabe que cada caso é um caso e que ninguém sabe tudo., ninguém conhece tudo. Uma mãe sabe que também há os outros, os casos de sucesso, os casos inexplicáveis. Há a ciência que evolui de dia para dia e há os milagres de amor, os milagres da fé. 

* não vale a pena procurar terapias alternativas/complementares. 
Uma mãe sabe que vale a pena tudo, tentar tudo, uma mãe sabe que há muitos casos que correram bem exactamente porque houve uma visão maior do que somente a da medicina convencional.

* estatisticamente estes casos... 
Uma mãe sabe que estatísticas são estatísticas, valem o que valem, e que as estatísticas não nos dizem nada, só nos dão probabilidades e uma mãe não se satisfaz ou se deixa manipular por probabilidades e estatísticas. 

Às vezes esta Mãe acha que quem fala assim é porque não está a falar do seu próprio filho, pois vão lá dizer aquele pai ou aquela mãe, que por acaso tem como profisssão exercer medicina, que não vale a pena fazer nada, que vá para casa e que se sente à espera de um milagre ou então que o seu filho morra daquela maldita doença sem cura!! Tenho a certeza que nessa situação muito cuidado teriam na forma como falavam...

Por ti meu amor! ❤

Enviar um comentário

Instagram

TODAS AS IMAGENS E CONTEÚDOS DESTE BLOG SÃO PROPRIEDADE DE CLÁUDIA GONÇALVES GANHÃO.
NÃO É PERMITIDO COPIAR OU UTILIZAR QUAISQUER CONTEÚDOS DESTE BLOG
PARA QUALQUER FINALIDADE SEM AUTORIZAÇÃO DA MESMA.
© by Cláudia Gonçalves Ganhão . Design by Fearne.