Indecisão acerca da nova Vacina contra o Meningococo B

Ando indecisa acerca da administração da nova Vacina contra o Meningococo B, a Bexsero (assim se chama formulação disponível em Portugal) aos L´s. É uma vacina extra-plano, ou seja, não incluída no Plano Nacional de Vacinação (PNV) e está na mão dos pais decidir se querem ou não dar esta vacina aos seus filhos.

Na minha cabeça existem muitas questões: Será segura? São conhecidos todos os efeitos secundários? Não serão os lobbys da indústria farmacêutica a funcionar? E o pressing psicológico que é feito aos pais? Cedo ou não cedo? 

Esta vacina tem um custo de aproximadamente 100€ (e para crianças acima dos 2 anos, o caso dos L´s, são necessárias 2 doses, portanto um investimento de 400€). 
Nas minha pesquisas/investigações encontrei o seguinte:
Para que serve a vacina contra o Meningococo B?
Esta vacina serve para evitar uma doença realmente grave que pode matar ou deixar graves sequelas nas crianças, as meningites por meningococos do tipo B (e isso claro que é um factor extremamente importante para cá em casa estarmos quase quase a avançar, além de que a pediatra dos L’s em quem temos a máxima confiança, aconselhou-nos a administração da vacina).
Mas afinal o que é a meningite?
As meningites são inflamações das meninges (uns folhetos que recobrem o cérebro e a espinal medula) provocadas por vírus e bactérias. Entre estas últimas, encontra-se a Neisseria meningitidis (ou meningococo) que, por sua vez, tem vários serotipos - A, B, C, Y, W135 e X1.
As meningites por meningococo são responsáveis pela forma mais agressiva desta doença. Ele circula entre nós no trato respiratório dos seres humanos, podendo passar de um portador assintomático para uma criança, deixando-a doente. A forma mais eficaz de controlo da infecção meningocócica é a vacinação. Na Europa, predominam o meningococo B e o C. Para este último, nós já tínhamos a famosa Meningitec, incluída no PNV desde 2006. Muito à custa desta vacina, a chamada doença meningocócica tem diminuído de frequência (0,8 por 100 mil habitantes em 2011). Ainda assim, leva à morte em 5% a 14% dos casos, sendo que 11 a 19% dos doentes sobrevivem com alguma sequela a longo prazo - sequelas neurológicas, perda de audição, alterações cognitivas, cicatrizes cutâneas e amputações. Também à custa da vacina contra a estirpe C. a percentagem de meningococos do tipo B cresceu nos últimos anos, sendo actualmente 72% dos N. meningitidis isolados.
É neste contexto que agora surge a Bexsero, para prevenir estes meningococos do tipo B.
É segura?
A empresa farmacêutica e o Infarmed garantem que esta nova vacina foi testada em laboratório e ensaios clínicos e demonstrou ser imunogénica e segura. São esperados efeitos secundários, como febre (10 a 15%) e reacções locais (não mais do que as do costume).
(Fontes: E os filhos dos outros pelo Pediatra João Moreira Pinto; Sociedade Portuguesa de Pediatria)

Enviar um comentário

Instagram

TODAS AS IMAGENS E CONTEÚDOS DESTE BLOG SÃO PROPRIEDADE DE CLÁUDIA GONÇALVES GANHÃO.
NÃO É PERMITIDO COPIAR OU UTILIZAR QUAISQUER CONTEÚDOS DESTE BLOG
PARA QUALQUER FINALIDADE SEM AUTORIZAÇÃO DA MESMA.
© by Cláudia Gonçalves Ganhão . Design by Fearne.